Artrite: Causas, Sintomas e Tratamento

O que é Artrite?

 

Artrite é um termo genérico que se refere a um grande número de enfermidades diferentes. As artrites são inflamações das articulações produzidas por diversos motivos. As artrites são um tipo de reumatismo e raramente têm suas origens conhecidas. No entanto, todas elas envolvem fatores genéticos, orgânicos, ocupacionais e ambientais.

As artrites atingem uma em cada sete pessoas acima dos 30 anos, das quais 60 a 70% são mulheres. Elas são mais comuns em adultos e idosos e têm aumentado muito ultimamente, com o sedentarismo e o envelhecimento da população, já sendo um dos principais distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.

                

 

Artrite: causas, sintomas e tratamento

A artrite é uma inflamação articular que gera sintomas como dor, deformidade e dificuldade no movimento, que ainda não tem cura. Em geral seu tratamento é feito com a toma de medicamentos, fisioterapia e exercícios, mas em alguns casos pode-se recorrer à cirurgia.

 

Ela pode ser causada por um traumatismo, excesso de peso, alimentação, desgaste natural da articulação ou devido a uma alteração no sistema imune de indivíduos pré dispostos a tal, e pode ser classificada como a artrite reumatóide, artrite séptica, artrite psoriática, artrite gotosa (gota) ou artrite reativa, dependendo da sua causa.

 

A artrite consiste na quebra da cartilagem. A cartilagem normalmente protege a articulação, permitindo que ela se mova suavemente.

 

A cartilagem também absorve choques quando a pressão é colocada na articulação, como ao andar, por exemplo. Com a ausência da quantidade normal de cartilagem, os ossos se friccionam, causando dor, inchaço (inflamação) e rigidez.
 

 


Os sintomas da artrite são:

- Dor nas articulações afetadas;
- Inchaço nas articulações afetadas;
- Vermelhidão na articulação afetada;
- Leve aumento da temperatura na região afetada;
- Dificuldade em realizar movimentos com o membro afetado;
- Deformidade nas articulações afetadas, numa fase mais avançada da doença;
- Dificuldade em iniciar o movimento com a articulação afetada;
- Rigidez matinal que pode perdurar de 15 minutos a 2 horas no caso da artrite reumatóide.

Estes sintomas podem surgir em indivíduos de qualquer idade, inclusive crianças e é muito comum que mais de uma articulação seja afetada ao mesmo tempo. A artrite é uma das doenças inflamatórias crônicas mais comuns em mulheres, obesos e em indivíduos com mais de 70 anos de idade. Embora alguns tipos sejam mais comuns em homens, como é o caso da artrite gotosa, por exemplo.

 

A cura definitiva da artrite ainda não foi descoberta, mas o indivíduo pode recorrer a diversas formas de tratamentos para a artrite sempre que ela tornar-se dolorosa e comprometer suas atividades diárias.

Para trazer alívio da dor e melhora da capacidade de movimentos recomenda-se uma alimentação cuidada, onde bebe-se bastante água e evita-se o consumo exagerado de alimentos ricos em proteína; a toma de medicamentos antiinflamatórios, imunosupressores, receitados pelo médico reumatologista e a fisioterapia. A cirurgia para a colocação de uma prótese articular pode em muitos casos representar a cura da artrite naquela articulação, como ocorre na artrite séptica, por exemplo.

Para diagnosticar a artrite o médico ortopedista ou fisioterapeuta poderão além de observar os sinais clínicos da doença como a deformidade articular, as características inflamatórias e ouvir as queixas do paciente, pedir um exame de raio-x para comprovar o inchaço local e a deformidade articular. Em alguns casos a avaliação laboratorial do faore reumatóide pode ser útil, mas nem sempre é necessária. Para o diagnóstico da artrite séptica a punção do líquido sinovial da articulação afetada é indispensável.

O desgaste natural da articulação é uma das causas mais comuns da artrite, mas esta doença também pode ser causada pelo excesso de peso, superuso, idade, traumatismo direto ou indireto, fator genético e devido a fungos, bactérias ou vírus que através da corrente sanguínea instalam-se na articulação gerando o processo inflamatório, que se não for revertido à tempo, pode levar à completa destruição da articulção e consequente perda da função.

A artrite é subdividida em:

Artrite reumatóide

A artrite reumatóide é uma doença auto-imune que causa dor e deformidade articular progressiva e permanente, se não for tratada adequadamente, mas que ainda não tem cura. Seu tratamento é feito com a toma de antiinflamatórios não hormonais e corticóides como a Prednisona, por exemplo.

Se o fator reumatóide for positivo, indica-se a utilização de medicamentos como: Metotrexato; Sulfassalazina; Leflunomida; Difosfato de cloroquina ou Sais de ouro, ou as drogas biológicas como: Adalimumabe; Rituximabe; Abatacepte ou Tocilizumabe. Os imunosupressores também podem ser utilizados no tratamento da artrite reumatóide, alguns exemplos são: Azatioprina; Ciclofosfamida ou Cicloposrina. Além disso indica-se fisioterapia e terapia ocupacional.

Artrite Septica

A artrite séptica é uma inflamação que ocorre numa única articulação que é causada pela presença de microorganismos como fungos e bactérias, cuja causa mais comum é a presença do Staphylococcus Aureus. Deve ser tratada o quanto antes para evitar sérias consequências como perda da função da articulação.

Ela é mais comum no quadril, mas pode ocorrer nos joelhos, ombro ou tornozelo. Geralmente seu diagnóstico é feito através da punção do líquido sinovial entre os 5 e os 15 anos de idade.

Artrite psoriática

Na artrite psoriática ocorre inflamação e destruição articular em indivíduos com psoríase, em média após 10 anos deste diagnóstico. Como tratamento medicamentoso indica-se a toma de antiinflamatórios não esteróides como a aspirina, Iboprofeno, Naproxen ou Diclofenaco. Prednisona, Folex ou Rheumatrex também podem ser utilizados. A fisioterapia é sempre indicada e nos casos mais graves pode-se recorrer à cirurgia.

Artrite gotosa

A artrite gotosa também chamada de gota é uma inflamação articular causada pela presença de cristais de ácido úrico nas articulações afetadas, devido ao consumo exagerado de proteínas ou devido ao consumo exagerado de cerveja ou de outras bebidas alcólicas, que atinge especialmente homens com doença cardiovascular instalada.

Seu tratamento é feito com dieta, fisioterapia e a toma de medicamentos como Alopurinol ou Febuxoxtato. Prednisona e Ibuprofeno também podem ser utilizados no combate à artrite gotosa, assim como a fisioterapia para controlar a inflamação e a dor.

Artrite idiopática

A artrite idiopática também é chamada de artrite reumatóide juvenil pois afeta crianças e adolescentes, e sua causa ainda é desconhecida. Ela afeta não só nas articulações mas também em outros órgãos, podendo haver comprometimento do coração e dos pulmões. Seu tratamento é feito com a toma de antiinflamtórios, imunosupressores, drogas biológicas, fisioterapia, terapia ocupacional e atividade física. Por vezes pode ser necessária cirurgia para correção das deformidades e suporte psicológico.

 

 


O tratamento para a artrite visa basicamente aliviar os sintomas da doença e melhorar sua função, porque o desgaste articular não pode ser totalmente revertido. Para tal pode-se recorrer a toma de medicamentos como analgésicos, antiinflamatórios e imunosupressores e mudanças no estilo de vida, onde preoconiza-se evitar esforços físicos.

Quando o indivíduo queixar-se de dor e de dificuldade nos movimentos recomenda-se a fisioterapia e nos casos mais graves pode ser necessária uma infiltração com corticóides na articulação para um efeito analgésico e antiinflamatório imediato. A prática de exercícios como natação, hidroginástica e Pilates também é indicada pois ajudam no combate à inflamação e no fortalecimento muscular.

Contudo, se o médico achar que a articulação está muito desgastada e se não houver outros inconvenientes, ele poderá sugerir que se faça uma cirurgia para a colocação de uma prótese no local da articulação afetada. Uma das articulações que mais têm indicação cirúrgica é a do quadril, e em seguida, a do joelho.

A fisioterapia pode em muito ajudar o paciente com artrite. Através do tratamento fisioterapêtico a inflamação poderá diminuir e será mais fácil realizar os movimentos. Poderão ser utilizados recursos antiinflamatórios, analgésicos e exercícios de alongamento muscular e de mobilização articular para preservar os movimentos da articulação e evitar que novas deformidades instalem-se.

A fisioterapia deve ser realizada no mínimo 3 vezes por semana até a completa remissão dos sintomas da artrite e cabe ao fisioterapeuta decidir que recursos usará para tratar esta doença.

Um ótimo tratamento natural para complementar o tratamento habitual da artrite é a toma de chás e infusões de plantas medicinais como por exemplo o gengibre e o açafrão. O uso do suplemento NQI também tem demonstrado bastante eficácia.

O consumo de pimenta cayenna e de orégano diariamente também atua como um poderoso antiinflamatório natural, assim como massagear os locais afetados com óleo essencial de lavanda ou de unha-de-gato.

Atenção: O tratamento natural não exclui o tratamento medicamentoso e fisioterapêutico da artrite, ele somente contruibui para um resultado mais rápido e mais satisfatório.

 

 

Artrite Reumatóide     Tratamento da Artrite     Artrose     Tratamento da Artrose     Cloreto de Magnésio     INICIAL

 

BICO DE PAPAGAIO     TRATAMENTO PARA ARTRITE     REUMATISMO     ARTRITE SINTOMAS     DIFERENÇAS     OSTEOARTRITE E OSTEOARTROSE     ARTRITE

 

 

www.artriteeartrose.com.br